10/30/2008

Mateus 14

**Obs.: Nosso estudo seguirá o relato de Mateus. Porém, um estudo deste capítulo junto com os paralelos nos outros evangelhos é extremamente rico. Ajuntando as informações, percebemos que Jesus se encontrou numa situação cheia de pressão. Os apóstolos voltaram de sua missão; as multidões os seguiram; muitas pessoas queriam conhecer Jesus; chegou a notícia da morte de João Batista; a popularidade de Jesus estava aumentando cada vez mais. A lição importante aqui está na maneira que Jesus lidou com esta situação complicada. Ele conseguiu manter a calma, e procurou aproximar mais do Pai.
14:1-12
Herodes ouviu sobre Jesus e achou que ele era João Batista ressuscitado.
Mateus insere aqui o relato da morte de João.
João foi morto por causa de Herodias. Ela tinha divorciado seu marido (Filipe) e casado com o irmão dele (Herodes Antipas, o qual reinou até 39 d.C., o mesmo que estava em Jerusalém quando Jesus foi condenado à morte).
João ensinou a verdade sobre esse casamento ilícito: "Não te é lícito possuí-la".
**Obs.: Marcos 6:17 claramente afirma que Herodes e Herodias eram casados. Este exemplo esclarece alguns pontos importantes: (1) O fato que o governo ou a sociedade aceitam um casamento não quer dizer que seja lícito perante o Senhor. A própria Bíblia diz que eram casados, mas Deus não autorizou tal casamento. (2) Herodes estava pecando enquanto ele continuava possuindo Herodias. Em casos de casamentos adúlteros, a única maneira de mostrar frutos de arrependimento é separar-se do cônjuge ilícito. A palavra de Deus não autoriza pessoas a continuarem em adultério. (3) A vontade de Deus sobre o casamento aplica a todos os homens: judeus, gentios, cristãos e descrentes. Herodes e Herodias não faziam parte do reino de Cristo, mas João condenou o casamento deles.
Herodias aproveitou uma oportunidade para pedir a morte de João. A filha dela dançou na festa do aniversário de Herodes de uma maneira que agradou a ele e aos convidados. Ele ofereceu para ela qualquer coisa, até a metade do reino dele. Ela consultou a mãe e pediu a cabeça de João Batista num prato.
**Obs.: O diabo teve uma festa naquele dia. Uma festa mundana (provavelmente com uma abundância de bebidas alcoólicas), a sensualidade da dança, a falta de domínio próprio do rei, a promessa precipitada dele, o ódio de Herodias. Todos os fatores cooperaram para conduzir um homem inocente, fiel e corajoso à morte.
Os discípulos de João sepultaram o corpo e levaram a notícia a Jesus.
14:13-21
Jesus se retirou para um lugar deserto, mas a multidão foi atrás.
Ele teve compaixão e curou os enfermos.
Ficou tarde, e os apóstolos começaram a se preocupar com a fome dos ouvintes.
Jesus pediu que os apóstolos dessem comida para eles, mas eles falaram que não tinham comida suficiente.
**Obs: Os apóstolos acabaram de chegar (Marcos 6:30) do trabalho de ensinar, curar, ressuscitar mortos, expulsar demônios, etc. (Mateus 10:8). Mesmo tendo poder para realizar milagres, eles não se acharam capazes de dar comida para a multidão.
Jesus multiplicou os pães e peixes para alimentar 5.000 homens, mais mulheres e crianças.
14:22-33
Jesus subiu num monte sozinho para orar, e mandou os apóstolos na frente no barco.
Entre as 3:00 e as 6:00 horas da madrugada, Jesus desceu do monte e andou por sobre o mar para chegar ao barco.
Os apóstolos levaram um susto. Depois, Pedro desceu do barco para andar até Jesus. Ele ficou com medo e pediu que Jesus o salvasse. Jesus o repreendeu por sua falta de fé.
Os apóstolos, impressionados com o milagre de Jesus, o adoraram.
14:34-36
Depois de chegar em Genesaré, Jesus curou vários enfermos.
-------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deus Abençôe

Postar um comentário